Gerenciando sua carreira

Gerenciando sua carreira

Introdução

Nossa carreira é o nosso maior negócio e a nossa missão é te apoiar nessa jornada!

A partir de agora, convidamos você para uma trilha de descoberta, autonomia e felicidade que o levará a explorar: quem você é, o que te move e onde quer chegar.

Suas metas nesta jornada são:

Ser a pessoa certa no lugar certo.

Ser o melhor naquilo que decidir fazer!

Gerenciando sua carreira

Tópico 1:

Biografia Profissional

Preparado para fazer um "raio x" de você mesmo?

A biografia profissional é um exercício de autoconhecimento que vai te ajudar a conhecer mais sobre seus pontos fortes e fracos, seus diferenciais, preferências, valores, propósito, medos e, o mais importante: como saber de tudo isso facilita as decisões sobre sua carreira.

O autoconhecimento está entre as cinco competências do profissional do futuro e é um dos fatores de sucesso mais desejados pelo mercado de trabalho. Por isso, quanto mais você souber sobre você mesmo, mais vantagem competitiva terá. Isso já te faz diferente da média.

Vamos começar?

Conheça seu perfil comportamental

Quando você explora o seu perfil, existe um nível maior de autoconhecimento, e a partir deste ponto é possível entender quais são as condutas mais naturais do seu comportamento, quais os desafios, as funções, empresas e ambientes têm mais a ver com o seu estilo e quais os ajustes que você precisa fazer.

Conheça seu perfil comportamental

Click aqui e faça seu mapeamento comportamental

A seguir temos uma breve descrição de cada perfil (lembrando que para uma análise mais profunda é necessária a ajuda de um profissional especializado).

Pontos fortes: são pessoas orientadas para resultados e se motivam por desafios. São competitivas, rápidas, práticas e se sentem bem em assumir posições de comando. Pessoas com esse traço comportamental podem ser mais exigentes, determinadas e são mais dispostas a correr riscos.

Pontos fracos: detestam rotina, são impacientes, às vezes independentes demais e podem ter dificuldades com normas e procedimentos, porque gostam de fazer as coisas do seu próprio jeito.

Pontos fortes: são pessoas que demonstram a capacidade de comunicação e de criar relacionamentos. Pessoas com esse perfil tendem a ser populares no ambiente de trabalho e conseguem inspirar outras pessoas. A marca é o entusiasmo e a boa comunicação.

Pontos fracos: gostam de deixar as coisas para depois e acabam fazendo tudo em cima da hora, começam muitas coisas e terminam poucas, correm o risco de falar demais e serem inconvenientes, têm dificuldade com formalidade e pouca disciplina.

Pontos fortes: são pessoas mais constantes, pacientes, persistentes e se dão bem com rotinas. São boas ouvintes, agradáveis e têm um grande senso de equipe. Pessoas com este perfil tendem a não se abalar tanto frente aos problemas.

Pontos fracos: dificuldade em lidar com pressão, pouca disposição para lidar com conflitos e sensibilidade a críticas.

Pontos fortes: pessoas com um alto grau de conformidade apresentam aversão a riscos. São sistemáticas, perfeccionistas e atuam conforme regras predefinidas. Tendem a ser cuidadosas e desenvolvem as atividades com precisão.

Pontos fracos: gostam de trabalhar no próprio ritmo e de fazer uma coisa por vez, tendem a ser mais intransigentes e inflexíveis.

Como apoio para seu desenvolvimento, peça feedback (retorno sobre o que você faz e como se comporta) para as pessoas que são mais próximas a você. Pergunte a elas sobre você.

O que ajuda e o que atrapalha em relação aos seus comportamentos?

Para pensar

Faça o seu autofeedback também e pense em ações para melhorar o que fizer sentido para você e sua carreira.

Para finalizar, a partir de seu perfil comportamental, é essencial refletir:

Quais as opções que seu curso oferece (áreas de atuação), que melhor combinam com o seu perfil?

Quais os lugares e empresas que mais têm a ver com o seu jeito de ser?

Sua bússola e seus talentos

• O que você gosta de fazer?

• O que te traz energia?

• Das matérias que você tem, em qual delas você consegue o melhor desempenho sem muito esforço?

• No seu curso, no que você se destaca?

• O que você admira nos outros?

• O que os outros admiram em você?

As respostas para estas questões são indicativos de seus interesses, seus talentos e de atividades/áreas nas quais vale a pena você dedicar atenção para se desenvolver cada vez mais.

Embora seja possível aprender a gostar de um trabalho, é difícil se manter motivado quando os valores da empresa não correspondem aos seus.

Lidando com seus sabotadores

Você sabia que em uma parte do tempo o cérebro trabalha ao nosso favor, mas em parte do tempo ele trabalha contra nós?
É o processo de sabotagem, uma estratégia do cérebro para nos proteger, mas que no final das contas não ajuda, atrapalha.

Por isso, seu desafio aqui é identificar e reconhecer como a sabotagem acontece com você.

• Eu não tenho tempo para nada!

• Não posso errar!

• Sou muito esquecido!

• Sou azarado mesmo.

• Fulano é que tem sorte.

• Está bom assim, não precisa mudar.

Quantas vezes você repetiu essas e outras afirmações?

Elas são as chamadas crenças limitantes.

Os sabotadores ou as crenças limitantes são histórias que contamos para nós mesmos.
Não são necessariamente a realidade, mas fazemos delas uma verdade individual.

Identifique seus sabotadores, seus medos e diga a eles quem manda em quem.

Faça um mapa de seus sabotadores, de acordo com Shirzad Chamine, autor do best seller “Inteligência Positiva”.

Clique aqui

O que te move?

Ikigai é uma palavra japonesa que significa “razão de ser” ou “prazer para viver”. A filosofia do Ikigai diz que cada um de nós tem o seu Ikigai. Encontrá-lo é essencial para trazer significado e propósito para nossa vida, para o que fazemos e este é o caminho para uma vida plena e feliz.

IKIGAI

Assim como uma recepcionista, que além de atender pessoas, cuida do tempo delas, um jardineiro, além de podar as plantas, cuida da beleza do jardim.

Adotar o Ikigai como filosofia profissional é planejar sua carreira a partir de quatro grandes aspectos:

1. Identificar o que ama ou gosta de fazer (talentos | interesses).

2. Saber fazer o que ama ou aprender (especialização).

3. Oferecer ao mundo algo que ele precisa (contribuição | demanda de mercado).

4. Ser pago por isso (remuneração).

Pensando na importância da interseção destes pontos, uma sugestão é que quando aquilo que você ama não é viável como carreira, faça disso um lazer ou trabalho voluntário.

Considere outras alternativas como carreira, incluindo a alternativa de aprender a amar aquilo que precisa ser feito, tendo como inspiração não somente o meio (“o quê”), mas a contribuição que este trabalho oferece (“porquê”).

Saiba mais sobre Ikigai na apostila, no Subtópico 4 (“O que te move?”) do tópico 1.

Para pensar

• Identificar o que ama ou gosta de fazer (talentos | interesses).

• Saber fazer o que ama ou aprender (especialização).

• Oferecer ao mundo algo que ele precisa (contribuição | demanda de mercado).

• Ser pago por isso (remuneração).

Feedback
Que bom que você se deu a oportunidade de exercitar a sua competência narrativa! A apreciação e a narração de histórias precisam estar articuladas com nossos modos de compreender o mundo e o outro.

Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve.

Faça um exercício simples, uma lista com dez empresas onde gostaria de atuar profissionalmente e as descreva.

• O que você conhece dessas companhias?

• Qual a forma de processo seletivo de cada uma?

• Qual o perfil valorizado por essas empresas?

Seja um profissional experiente ou em início de carreira, o segredo reside em saber para onde você quer ir (visão) e explorar o mapa que te leva até lá.

Sugestão

Faça um mapa das suas habilidades e aquilo onde você precisa melhorar. Estabeleça prazos e metas.

A principal fonte utilizada pelos recrutadores são as redes sociais profissionais. Nelas você encontrará conteúdo para aprimoramento profissional, páginas de empresas e profissionais que atuam nelas.

Uma outra sugestão são os sites específicos de vagas.

Para pensar

Para alguns, uma grande carreira significa poder, status, dinheiro.

Para outros, oferecer uma contribuição sincera, independentemente do que seja feito, ou simplesmente fazer o que gosta, conciliar vida pessoal com vida a profissional ou mesmo trabalhar próximo de casa.

Veja o vídeo e aprofunde seus conhecimentos. Nosso desejo é que você encontre o significado de uma grande carreira que, em primeiro lugar, faça sentido para você!

Gerenciando sua carreira

Tópico 2:

Fatores de sucesso na carreira

Fatores de sucesso

O mercado de trabalho é bastante disputado, com a tendência de ser cada vez mais exigente.

Alguns fatores te ajudam a ser mais competitivo neste jogo. É o que chamamos de fatores de sucesso na carreira, ou seja, aqueles que te conferem destaque no mercado de trabalho e cuidam para que você não seja e nem faça mais do mesmo.

É neles que você deve focar sua energia. Vamos explorar?

Existem várias definições para carreira: carreira como o conjunto de cargos que você ocupou; empresas pelas quais você passou; projetos que você participou.

Assim como a carreira não começa quando você entra ou termina a faculdade, ou quando você conquista seu primeiro emprego ou alcança uma promoção. Isso faz parte, mas o verdadeiro conceito de carreira é mais amplo. Sua carreira é sua história de vida.

Conheça a história de Núbia Mota

Veja na sua apostila, no Subtópico 1 do Tópico 2, a história da carreira da Diretora de Marketing e novos negócios para a América Latina da Magneto.

Para pensar

Qual a parte da sua história que te faz diferente das outras pessoas?

Honre sempre a sua história e conte aos outros como você chegou até aqui. É a sua história de vida que te torna único em sua jornada!

Formação Acadêmica e Experiência Profissional

Arraste a barra e entenda melhor a diferença!

Pense no seu curso

Quais os trabalhos desenvolvidos por você ou que você fez parte que supercontribuíram para o seu desenvolvimento?

• Pense em alguma apresentação de trabalho ou trabalhos em grupo que foram marcantes para você.

• Palestras, feiras ou semanas acadêmicas das quais você fez parte.

• Alguma visita técnica realizada?

Tudo isso também já faz parte da sua experiência profissional.

Mesmo que você não tenha atuado diretamente em uma empresa, é importante você considerar que experiência não tem a ver com carteira registrada, mas, sim, com experiência vivida. Além disso, sua jornada como estudante é uma parte fundamental disso.

“O que você faz fala tão alto que eu não consigo ouvir o que você diz.“

O mercado está de olho em comportamento.

Comportamento

Todos os anos, as faculdades formam milhares de profissionais sabendo as mesmas coisas.
O que vai te diferenciar de todos os profissionais que sabem as mesmas coisas que você, é a maneira como você se comporta em relação a tudo o que você sabe.

Alguns comportamentos valorizados em qualquer negócio e segmento:

• Oferecer ajuda

• Respeitar as diferenças

• Ter iniciativa

• Se comunicar com clareza

• Saber ouvir

• Ser um solucionador de problemas e não um “reclamador”

• Ser curioso

• Ser grato pelas oportunidades

• Ser comprometido

• Líder de você mesmo

De 0 a 10, o quanto você se avalia em cada um deles?

Na prática

Atualmente, as competências técnicas, embora importantes, tornaram-se pré-requisitos de um mercado que escolhe, decide e promove cada vez mais por comportamento.

Até porque é mais fácil ensinar alguém a mexer em uma planilha de Excel, por exemplo, do que ensinar alguém a sorrir ou ser prestativo. Concorda?

Foco no estratégia

Como estratégia de carreira, tão importante quanto você aprender coisas novas, é você dedicar tempo e energia também para desenvolver bons comportamentos, e aqui estará a grande diferença entre ser ou não ser bem-sucedido.

Rede de Relacionamento

Tão importante quanto o que você sabe, é quem sabe o que você sabe. Isto é networking: sua rede de relacionamento.

O networking é um dos principais fatores de sucesso na carreira, mas cuidado com a “panfletagem” de currículos.

Foque nas pessoas que você conhece e podem ser uma ponte entre você e a oportunidade que você tanto deseja.

Indicações

O mercado de trabalho no Brasil tem uma característica muito relacional, ou seja, a maioria das posições são preenchidas por indicação. Daí a importância em se construir uma rede de relacionamento cada vez mais relevante.

Comece com seus colegas na sala de aula, seus professores, contatos em redes profissionais, aproximação durante cursos, palestras etc.

Para pensar

O foco deve estar no número de pessoas dispostas a fazer alguma coisa por você. Portanto, imagine-se como um dono de uma empresa que tem uma vaga em aberto.

• Você se indicaria para essa posição?

• Qual a impressão que você deixa nas pessoas?

A disposição das pessoas em fazer algo por você está diretamente relacionada a essa resposta.

Aceleradores

Você já passou pela situação de se aconselhar com alguém sobre seus próximos passos de carreira?

Quando esse aconselhamento acontece com alguém em quem a gente confia e se inspira, é impressionante o impacto positivo que isso tem.

Mentoria

Quando conectamos uma pessoa com certa ou relevante experiência com outra pessoa sem ou com pouca experiência, é o que chamamos de mentoria.

 

A mentoria é considerada um grande acelerador de carreira porque traz a possibilidade de alguém compartilhar os erros e acertos daquilo que ainda espera viver e de escolhas que pretende fazer. Dessa forma, não só ampliamos a nossa visão, como também clarificamos as nossas dúvidas.

Para pensar

Pense nas pessoas que você conhece.

• Qual delas te inspira?

• Em qual delas você confia?

Busque por um mentor ou mentora e compartilhe sobre a sua questão de carreira, suas dúvidas, insegurança, incômodos.

Idioma

Além de pensar na mentoria também como um outro acelerador de carreira, coloque no seu “radar” aprender um segundo idioma.
Além do aspecto cultural, profissionais com um segundo idioma, com ênfase no inglês, ganham até quatro vezes mais. Para facilitar, existem diversas formas gratuitas de aprendizado na internet.

Explore sua carreira

Seja um “explorador”: pesquise sobre o maior número de informações sobre as carreiras e empresas que te chamam atenção. Converse com que quem já trabalha na área.

Seja curioso, veja o vídeo acima e faça da sua curiosidade um grande fator de sucesso em sua carreira!

Gerenciando sua carreira

Tópico 3:

Como construir um currículo de destaque

Seu currículo abre portas?

Ele é o primeiro contato que a empresa tem com você. Antes de qualquer contato pessoal, o recrutador já leu, analisou e fez as observações e pontos a serem explorados na entrevista.

O melhor currículo de todos os tempos

Para ter um currículo campeão, você precisa reunir algumas informações essenciais sobre você.
Acompanhe nos números ao lado as informações essenciais e qual ordem seguir.

Identificação: inicie o seu currículo com seu nome completo, nacionalidade, estado civil, endereço (rua, cidade e estado), telefone (no máximo dois) e um e-mail que você usa habitualmente. Qualquer informação diferente dessas, assim como a foto, deve ser compartilhada somente se a empresa pedir.

Objetivo: sugerimos que você informe uma ou até três áreas de atuação, relacionadas entre si. Exemplo: finanças, contabilidade, compras. É importante também que as informações postas neste campo tenham conexão com sua formação, experiência e com a vaga para a qual você está se candidatando.

Formação Acadêmica: aqui você deverá incluir, em ordem decrescente, a sua experiência acadêmica. É indispensável colocar o nome da instituição de ensino, data de início e previsão de conclusão e o período que frequenta as aulas. Informe apenas a graduação. Não é necessário informar sobre o ensino médio, a não ser que você considere isso como diferencial.

Experiência: aqui você deve informar as empresas onde atuou, sempre da mais recente para a mais antiga. Informe o nome da empresa, o período (a data de entrada, a data de saída ou caso você esteja trabalhando neste local, use o termo “atual”), seu cargo e um breve descritivo de suas responsabilidades e resultados alcançados.

Idiomas: informe sua proficiência em um segundo idioma. Exemplo: Inglês - Nível intermediário.

Se for o caso, coloque o nome da escola e o período de estudo.

Formação Complementar: neste campo, é importante você relacionar quais ferramentas de T.I. que você domina.

Exemplo: Excel, Power Point, Corel, entre outras. Informe também cursos que tenha feito contendo nome, descrição e carga-horária.

Para pensar

Para deixar seu currículo ainda mais diferenciado, se for o seu caso, acrescente os campos de experiência internacional, como no caso de intercâmbio e outros cursos no exterior (mesmo que a distância) e também de trabalho voluntário (aliás, esta é uma excelente oportunidade de adquirir experiência). Ambos são extremamente valorizados pelo mercado.

Inovar ou não inovar no currículo?Eis a questão

Algumas áreas de atuação permitem um design de currículo um pouco mais inovador, como arquitetura e urbanismo, publicidade e propaganda, marketing, jornalismo, estética, tecnologia e outros cursos afins.

Currículo Inovador

Algumas áreas de atuação permitem um design de currículo um pouco mais inovador, como arquitetura e urbanismo, publicidade e propaganda, marketing, jornalismo, estética, tecnologia e outros cursos afins.  

Nesses casos, a montagem do currículo pode ser algo utilizado ao seu favor, demostrando os seus conhecimentos em programas específicos da área. O currículo infográfico, em que os profissionais traduzem a sua experiência de forma resumida e com design arrojado, é um exemplo. Leve em conta o perfil da empresa que pretende atuar para utilizar essa composição, e não se esqueça de colocar todas as informações já vistas.  

Vídeo currículo

Uma tendência é o vídeo currículo. Pode ser que a empresa peça para você produzi-lo. Algumas dicas:

• Em geral, o vídeo currículo não é uma “palestra”. Faça um vídeo curto e objetivo. 5 minutos de duração é uma boa referência.

• Antes de iniciar, roteirize o seu vídeo de acordo com as orientações recebidas pela empresa.

Dicas para o seu
vídeo currículo

• Comece se apresentando (nome, cidade, seu curso e estágio em que você está).

• Conte sobre o seu objetivo profissional, fale resumidamente sobre sua experiência profissional e pontos de destaque na faculdade que agregam diretamente valor para a posição desejada.

• Aponte pontos de empatia entre você e a empresa.

• Seus diferenciais (trabalho voluntário formações extracurriculares etc.).

• Conte por que esta vaga é importante para você e finalize agradecendo.

Pontos de atenção: qualidade do áudio, imagem e sua apresentação pessoal.

Para pensar

Crie um pequeno roteiro sobre você para a gravação de um vídeo currículo. Fique atento aos seguintes itens: apresentação (nome, cidade, seu curso e estágio em que você está), conte sobre o seu objetivo profissional, fale resumidamente sobre sua experiência profissional e pontos de destaque na faculdade que agregam diretamente valor para a posição desejada, aponte pontos de empatia entre você e a empresa, seus diferenciais (trabalho voluntário formações extracurriculares etc.) e conte por que esta vaga é importante para você e finalize agradecendo.

Feedback
Que bom que você se deu a oportunidade de exercitar a sua competência narrativa! A apreciação e a narração de histórias precisam estar articuladas com nossos modos de compreender o mundo e o outro.

Currículo não é panfleto.

Tão importante quanto um currículo feito com capricho, é você adaptá-lo de acordo com a proposta da vaga e da empresa. Essa adequação vai desde uma mudança de layout para o currículo ter “mais a cara” da empresa, até ajustes nas informações e eliminar aquelas que não fazem sentido.

Para pensar

Muitas pessoas enviam os seus currículos para diferentes vagas em uma mesma empresa.
Quando essas vagas tem pouca relação entre uma e outra, o profissional comunica falta de foco.
Sem contar com a situação de envio de currículo para qualquer vaga ou qualquer empresa.

Envio virtual (por e-mail | sites ou outro canal)

Um grande erro é enviar o currículo para uma lista de pessoas, ainda que em cópia oculta. Se você quer fazer a diferença, arregace as mangas, personalize suas mensagens e mande-as uma a uma.

Veja um exemplo de envio de e-mail na apostila.

Na prática

Quando for enviar o seu currículo via e-mail à uma vaga de trabalho não se esqueça de escrever uma breve apresentação e de anexar o seu currículo.
Opte sempre pela extensão em PDF.
Arquivos em Word tendem a perder a formatação original.

Cuidados na entrega do currículo presencialmente

Ao entregar o seu currículo presencialmente, cuide de como vai entregá-lo, coloque-o em um envelope e identifique-o.

Certifique-se de que o papel não tenha rasuras ou esteja amassado.

Não descuide da apresentação pessoal: isso vai muito além da roupa que você usa ou do estilo que tem. Seja educado na abordagem e peça que direcionem o seu currículo para o responsável de sua área de interesse ou mesmo se ele ou ela pode recebê-lo.

Seja original

Não faça um currículo “mais do mesmo”, mas sim um documento que te torne único e que te represente, de verdade. Cuide da abordagem ao compartilhá-lo. Muitos profissionais, embora preparados, perdem a oportunidade de avançar em processos seletivos simplesmente por descuidarem desses aspectos.

O currículo é um grande passaporte para o mercado de trabalho. Tão importante quanto reunir suas informações profissionais é como você faz isso. A metodologia e as dicas presentes neste vídeo irão ajudá-lo a começar com o pé direito!

Gerenciando sua carreira

Tópico 4:

Fui chamado para uma entrevista de trabalho. E agora?

Parabéns!

O fato de você ter conquistado uma entrevista de trabalho significa que seu perfil realmente chamou atenção, despertou interesse e se destacou.

Pode ter sido resultado de uma vaga para a qual você se candidatou ou de indicações que tenham feito sobre você (você pode ter sido indicado por professores, colegas da sala de aula ou outras pessoas – Olha o networking aqui!) e resultado também de um currículo bem elaborado.
Vamos trazer dicas valiosas como forma de te apoiar em mais essa etapa!

Para pensar

A entrevista tem o grande objetivo de permitir que a empresa te conheça melhor.
No fundo, no fundo, a entrevista não é um “bicho de sete cabeças”. É muito mais uma pressão psicológica que a gente coloca na gente mesmo do que qualquer outra coisa
Se preparar faz parte, mas tranquilize-se.

Seja um explorador

O processo seletivo é composto de diversas etapas e a entrevista é uma delas. Após a divulgação da vaga, é a vez da escolha dos currículos recebidos.

As próximas etapas são: entrevista por telefone, entrevista pessoal com o recrutador, aplicação de testes práticos ou dinâmicas, entrevista com o gestor que solicitou a vaga e, finalmente, a contratação em si ou a devolutiva pela empresa, explicando porque a escolha se deu por um outro profissional.

Na prática

Esteja preparado para perguntas como essas. Pare, pense e escreva sobre elas.

• Conte um pouco sobre você.

• Este será seu primeiro trabalho, como você encara este desafio?

• Comente sobre sua experiência profissional?

• Qual o seu maior sonho?

• O que você admira em você?

• O que você mudaria em você?

• O que você conhece sobre nossa empresa?

• Por que deve ser você o candidato escolhido?

• Como esta oportunidade mudaria a sua vida?

• Quando você pode começar?

Remuneração

Quem introduz este assunto é o recrutador e, geralmente, ele faz isso no final da entrevista. Caso não aconteça, sinta-se à vontade para falar sobre.

Retorno

Caso não tenha sido mencionado, pergunte ao entrevistador a previsão de retorno (e aguarde pelo tempo combinado … não é bem-vindo ficar ligando na empresa).

Enviar um e-mail de agradecimento, após a entrevista. É uma sutileza da qual os recrutadores gostam bastante.

Dinâmicas e Testes Práticos

Dinâmicas em grupo e teste práticos são bastante comuns em processos seletivos. Podem ocorrer antes, durante ou após a entrevista.

O objetivo das dinâmicas de grupo é simular uma situação que te leve a demonstrar conhecimentos e principalmente comportamentos.

O adequado é que você tenha uma comunicação clara, apoie os demais candidatos e respeite as diferenças individuais.

Timidez

Se você for tímido, busque se soltar mais neste momento e tenha atenção com a centralização das atividades em grupo. Um aspecto superimportante, antes da dinâmica, é você pensar em quais emoções podem te atrapalhar e buscar alguém para falar sobre isso e buscar empoderamento.

Testes Práticos

No caso dos testes práticos, o objetivo é checar se você sabe fazer aquilo que você diz que você sabe fazer. Se você está sendo contratado para a área contábil de uma empresa, pode ser que exista um teste de conciliação bancária, por exemplo.

Embora a escolha pelo profissional represente o conjunto do seu desempenho durante as diversas etapas do processo seletivo, é fato que a sua performance nesta fase é essencial. Por isso, não seja “econômico” e entregue o melhor em cada fase.

Crie empatia

Seja em um processo seletivo ou na vida, em geral, a empatia traz resultados impressionantes.

Na prática

Algumas técnicas para despertar empatia:

• um sorriso;

• ouvir atentamente;

• contato direto com os olhos;

• fazer pequenos gestos indicando que está prestando atenção ao diálogo;

• como balançar a cabeça afirmativamente e

• adaptar-se ao ritmo do entrevistador.

“Recentemente, um jovem profissional me contou que participaria de um processo seletivo em uma famosa marca varejista de roupas femininas e masculinas, de abrangência nacional. Minha pergunta para ele foi: “Quais as roupas que você tem desta marca? Qual delas você vai usar no dia da sua entrevista?” Uma imagem vale mais do que mil palavras. Um fator decisivo na contratação de um profissional é que ele tem que sonhar o mesmo sonho e “vestir a camisa” da empresa. Este é um exemplo de como demonstrar isso e de como criar empatia.”
Danielle Rodrigues | Coach de Carreira e Liderança.

Mais importante do que ser o candidato escolhido - considerando que existem fatores que você não controla – é você conseguir que as pessoas lembrem-se positivamente de você. Isso significa abrir portas por onde você passar e tem a ver com a marca que você deixa nos outros.

Perseverança

A possibilidade de você participar de outros processos seletivos em uma mesma empresa – caso você não tenha sido selecionado na primeira vez – tem relação direta com a impressão deixada no primeiro contato com você.

Comprometimento cria uma marca positiva, assim como ser educado com o selecionador, demonstrar gratidão e prontidão, dedicação e esforço e ser verdadeiro naquilo que fala.

Muita gente faz críticas e algumas com razão, aos profissionais de recrutamento e seleção, principalmente quanto à falta de feedback após o processo seletivo. Depois de todas as fases, fica um sentimento de vazio quando não se recebe notícias da empresa.

Para pensar

Mas você já parou para pensar no seu comportamento?
Por exemplo, se durante o processo seletivo você se decidiu por outra oportunidade, é de bom tom comunicar o recrutador.  
O recrutador também tem expectativa, se prepara para o processo e lida com prazos. Este é um exemplo de como manter as portas abertas para novas oportunidades. 
Se a carreira é o seu maior negócio, sua marca é seu maior patrimônio.

Resiliência

É importante você cultivar a consciência de que, assim como o “sim”, o “não” também faz parte de um processo seletivo. Se o resultado for “não selecionado”, tudo bem.

Acolha esse retorno. O que você pode aprender que vai te ajudar nas próximas vezes?

Nos primeiros passos da nossa carreira, a gente se cobra tanto que se esquece de lembrar que não é uma nota ou simplesmente o resultado de um processo seletivo que define quem a gente é.

O vídeo acima vai te ajudar a se preparar para suas futuras entrevistas. Nesta jornada, independentemente do resultado, que a certeza de ter feito o seu melhor seja sempre a sua maior conquista!